NOTÍCIAS

Número expressivo de casos de ferrugem no RS exige manejo correto de fungicidas

Basf apresenta portfólio de soluções para agricultura na 20ª Expodireto Cotrijal.

Lavouras de soja em fase final de desenvolvimento exigem cuidados redobrados para evitar perda de produtividade causada pela ferrugem asiática. De acordo com o Consórcio Antiferrugem, foram registrados até o momento 127 casos da doença na safra 2018/2019 no Rio Grande do Sul, aumento de 3% em relação ao ciclo anterior. O estado lidera a quantidade de casos nesta safra.

O manejo integrado, com fungicidas de alta performance, é necessário para conter o avanço da ferrugem. De acordo com a Embrapa, as perdas causadas pela doença podem chegar a 90% se a doença não for controlada. 

A Basf possui uma linha de fungicidas para o controle de doenças durante todo o ciclo da cultura, com destaque para o fungicida Versatilis que é mais recomendado para uso em associação com o produto multissítio Status. Ambos são mais indicados para lavouras de soja em fase final de desenvolvimento.

“A Basf está comprometida com o manejo eficiente das lavouras de soja. Nós acreditamos que o controle feito de maneira adequada contribui para a longevidade dos cultivos, proporcionando maior rentabilidade para o agricultor”, enfatiza Helio Cabral, gerente de Marketing de Soja da Basf.

Variedades SoyTech

Para a safra de soja 2019/2020, a Basf realiza o lançamento da variedade BS 1543 IPRO durante a 20ª Expodireto Cotrijal. A cultivar é adaptada para áreas altas do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, aliando precocidade e produtividade.

Outro destaque do evento é a variedade BS 2606 IPRO, que tem sanidade radicular, resistência à fitóftora e alto teto produtivo como principais características.

"Nós orientamos a escolha de variedades que melhor se adaptem ao solo e ao clima de cada região, para que a lavoura possa expressar o máximo do seu potencial produtivo”, afirma Daniel Gobbi, gerente de licenciamento SoyTech da Basf.

Manejo eficiente de plantas daninhas

Um dos primeiros cuidados para o próximo ciclo é o controle de plantas daninhas. Para o manejo de plantas daninhas de difícil controle são indicadas aplicações antes da semeadura da soja. Para controlar plantas de folhas largas, como a buva, é indicado o uso do herbicida Atectra. Para invasoras de folhas estreitas, como o capim-amargoso, pode ser utilizado o herbicida Amplexus.

A Basf orienta os agricultores sobre o manejo eficiente das plantas daninhas.  Confira algumas das principais orientações: 

- rotação de culturas;

- aplicação de herbicidas em diferentes momentos da cultura;

- aplicação das doses recomendadas para cada produto;

- manter as plantas daninhas controladas durante o ano todo, evitando a produção de sementes indesejadas;

- realizar a limpeza dos equipamentos e materiais, como tratores e colheitadeiras, antes de sair das áreas produtivas;

- utilização de sementes limpas e certificadas;

- uso de herbicidas com diferentes mecanismos de ação.

O portfólio completo de Soluções para Agricultura da Baasf será apresentado durante a 20ª Expodireto Cotrijal, de 11 a 15 de março no município de Não-me-Toque, RS.

ver mais notícias