NOTÍCIAS

Controle biológico reduz até 15% dos custos de produção de cana-de-açúcar

Aplicação do Galloibug feita via drones.

O uso do controle integrado de pragas e doenças e do controle biológico, além dos benefícios ambientais e à saúde, também pode reduzir consideravelmente os custos de produção. No caso da cana-de-açúcar, cultura para qual a Koppert tem um portfólio de produtos, a queda nos gastos podem chegar a 15%, quando comparados com os do cultivo convencional.

De acordo com o Gerente Comercial em cana da Koppert do Brasil, Vinícius Lopes, essa economia ocorre porque a cultura da cana é semiperene, com grandes ciclos produtivos. “Essas características favorecem o uso dos produtos biológicos por terem um residual maior, aumentando a possibilidade se fazer menos aplicações. Além disso, os biológicos tendem a ser mais baratos que os químicos”, explica.

O controle biológico para cana é utilizado há muitos anos no Brasil e sua efetividade já está mais que comprovada. São utilizados tanto macro quanto microbiológicos no combate de várias pragas e doenças, porém o mais conhecido é o controle da broca-da-cana (Diatrea sacchralis), que é feito com o Trichogramma galloi, uma microvespa parasitóide de ovos que evita o ataque da broca nos colmos da planta.

Com três produtos específicos para várias pragas e doenças da cana, a Koppert tratou, na safra 2017/18, 2 milhões de hectares de cana, um aumento de 160% em relação à temporada anterior. Mesmo com o avanço, Lopes acredita que o uso do controle biológico pode ser ainda mais expressivo na cultura.

Os biodefensivos para o controle de pragas e doenças em cana-de-açúcar são: Galloibug, que atua sobre a broca-da-cana, o Metarril, inseticida que controla a cigarrinha da raiz e o Trichodermil, fungo com ação fungicida e nematicida

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura