NOTÍCIAS

Copagaz participa pela primeira vez da Agrishow 2019

A Copagaz, distribuidora de GLP do país, participa pela primeira vez da Agrishow. O evento, que ocorre de 29 de abril a 3 de maio, em Ribeirão Preto, São Paulo, contará com uma equipe de gerentes comerciais e consultores para levar soluções em GLP para o agronegócio.

A participação do mercado agro no GLP tem crescido nos últimos anos – hoje já é o terceiro maior consumidor do produto com cerca de 8% da venda no país, atrás de segmentos como comercial e industrial. Em seu estande de 225 metros quadrados, a companhia exibirá seu caminhão-tanque, além de promover ativações da marca, com direito a brindes, e exposições sobre o uso do GLP no setor agro.

“Nosso objetivo é explorar a capilaridade do GLP e mostrar aos agentes do agronegócio uma série de vantagens que o uso desta matriz energética traz, relacionadas a maior qualidade dos grãos e produtos, pois permite controle de temperatura total, atendendo assim demandas exigidas para importação, aumento da produtividade, mas acima de tudo, mitigação de riscos à saúde do produtor”, explica o gerente nacional comercial empresarial da Copagaz, Vicente Longatti.

Benefícios e vantagens no uso do GLP:

  • Reduz grau de umidade depois da colheita do grão e semente, evitando perdas com fungos e germinação no processo de estocagem e armazenamento pré-venda ao consumidor;
  • Por ter um maior poder calorífico, o GLP melhora a qualidade final do grão e/ou da semente – evita quebra do grão e deixa com aspecto visual mais limpo;
  • Ausência de cheiros, pois evita contato com fumaça e monóxidos gerados pela lenha e biomassa, por exemplo;
  • Permite controle total da temperatura durante o processo de secagem - através da utilização do GLP é possível proporcionar controle e uniformidade durante todo o processo, o que é essencial para um produto de qualidade superior (exemplo: torrefação de café);
  • O GLP possibilita a modulação da chama de acordo com a produção, resultando em eficiência e economia para o produtor;
  • Polui menos – quando comparado a lenha, por exemplo, baixas emissões de poluentes, não contribui com a destruição da mata nativa;
  • Oferece menos riscos de saúde para quem opera pois evita exposição ao calor e partículas tóxicas geradas na queima de lenha e biomassa;
  • Proporciona ganho de 20% a 30% na produtividade (varia caso a caso);
  • Elimina riscos de acidente operacional ocasionado pelo manuseio da lenha ou biomassa;
  • Reduz a área de armazenagem;
  • Elimina a proliferação de peçonhas;
  • Versatilidade – além dos processos de secagem de grãos e sementes ou torrefação de café também pode ser aplicado no aquecimento aviário, oferecendo vantagens como: distribuição de calor homogênea, redução do índice de mortalidade, melhor conversão alimentar e automatização do processo.
ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura