NOTÍCIAS

Corteva estreia no Congresso Brasileiro do Algodão com diversos lançamentos

Paulo Costa, líder de marketing da área de proteção de cultivos da Corteva Agriscience.

Resultado da fusão entre a Dow e a DuPont, a Corteva Agriscience estreia no 12º Congresso Brasileiro do Algodão (12º CBA), evento que será realizado entre os dias 27 e 29 de agosto, no Centro de Convenções de Goiânia/GO. Em seu estande, dentre outras novidades, o visitante terá acesso ao portfólio completo da empresa para a cultura do algodão e poderá conhecer um pouco mais sobre WideStrike 3 – tecnologia de proteção contra lagartas, que contém três proteínas: Cry1Ac, Cry1F, além de outra inseticida vegetativa (Vip3A), do Bacillus thuringiensis (Bt). O 12º CBA é considerado o maior encontro da cotonicultura brasileira e acontece a cada dois anos. Ele é uma realização da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), com apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA) e da Embrapa.

Outra solução em tecnologia para a cotonicultura que a Corteva apresentará no congresso deste ano é o tratamento de sementes Dermacor, que, associado à tecnologia Bt, amplia o espectro de controle de pragas, “protegendo o maior investimento do agricultor: a semente”, explica o líder de marketing da área de proteção de cultivos da Corteva Agriscience, Paulo Costa. De acordo com o executivo, para a cultura do algodão, especificamente, o produto também oferece proteção contra insetos como a broca do colo (Elasmopalpus lignosellus) e a helicoverpa (Helicoverpa armigera).

"O algodão está entre as prioridades da Corteva no mundo e no Brasil, dada a grande importância econômica da cultura e seu exponencial potencial produtivo”, revela Costa. Ele afirma, ainda, que a relevância da cotonicultura fez com que a Corteva lançasse no Brasil, entre 2018 e 2019, três produtos e tecnologias para o cultivo: WidesStrike 3, Closer e Dermacor.

Participar do 12º CBA, para a empresa, é estratégico. “O congresso e a Abrapa têm papel fundamental em promover as relações e sinergias da cadeia produtiva. Seguramente, o sucesso do algodão brasileiro é resultado de grandes discussões que este evento, conduzido pela associação dos produtores, tem promovido nos últimos anos", conclui.

Para o presidente da Abrapa, Milton Garbugio, a Corteva já nasce forte ao unir a expertise de duas grandes referências mundiais em tecnologias para o agro. “Nosso CBA reúne os melhores do mercado, seja em sua grade científica de palestras e salas temáticas, ou na área de expositores. Tenho certeza de que a empresa terá uma excelente experiência no congresso, e os cotonicultores contarão com um leque ainda mais extenso de possibilidades para tomar as melhores decisões na aquisição de produtos para a safra que em breve será plantada”, diz Milton Garbugio.

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura