NOTÍCIAS

Edição 2020 do programa Techstart Agro Digital tem apoio da Bayer

Programa apoia o desenvolvimento de soluções digitais para a agricultura.

O novo ciclo de aceleração de startups do programa realizado pela Embrapa Informática Agropecuária e a Venture Hub, o TechStart Agro Digital, vai contar com o apoio da divisão agrícola da Bayer. A parceria foi firmada no último dia 2. Focado no desenvolvimento e na escalada tecnológica de soluções digitais para o agronegócio, o programa oferece suporte às startups e conexão com investidores e corporações. A chegada da Bayer deve agregar conhecimento técnico e de mercado, contribuindo com as atividades de mentoria das startups participantes.

O objetivo do programa é impulsionar a chegada de novas tecnologias ao mercado, com soluções para problemas reais da agricultura. “A Embrapa vem intensificando sua participação em iniciativas como essa, atuando como uma facilitadora no ambiente de inovação aberta e ajudando a identificar as demandas do setor produtivo”, ressalta a chefe-geral da Embrapa Informática Agropecuária, Silvia Massruhá. A ideia, segundo ela, é avançar em soluções inovadoras que atendam aos desafios da agricultura digital, com foco especial no aumento da produtividade e sustentabilidade, na redução de custos, no apoio à tomada de decisão no campo e na geração de valor para o agricultor.

As inscrições para o programa seguem fluxo contínuo e podem ser feitas no site do TechStart Agro Digital. As startups selecionadas para o batch 2020 vão participar de um processo estruturado, ao longo de 21 semanas, com treinamentos e mentorias especializadas e oportunidades de interação com outras empresas, investidores e instituições de pesquisa, além de apoio nas áreas jurídica, de propriedade intelectual e contábil. O programa atende também aos interesses de empresas que buscam inovações com potencial para integrar seus negócios.

A iniciativa é mais uma oportunidade de colaborar com o processo de transformação digital do campo e reforça o trabalho que vem sendo desenvolvido pela Bayer em outras parcerias com agtechs, afirma Dirceu Ferreira Junior, diretor do Centro de Expertise em Agricultura Tropical da Bayer Brasil. "Seremos capazes de utilizar nossas décadas de experiência no mercado de sementes, biotecnologia, proteção de cultivos e agricultura digital para fortalecer cada vez mais o processo de inovação no agronegócio", diz Ferreira.

Segundo José Eduardo Azarite, vice-presidente de Corporate Innovation da Venture Hub, aceleradora de startups sediada em Campinas (SP), a expectativa neste segundo ciclo é impactar ainda mais o ecossistema de inovação e empreendedorismo do agronegócio brasileiro. “Esperamos atrair empreendedores e startups ainda mais relevantes, disruptivos e com visão global de mercado, que compartilhem do propósito de contribuir para uma vida melhor da sociedade”, completa.

Como participar

A supervisora da área de Transferência de Tecnologia da Embrapa Informática Agropecuária, Luciana Alvim Romani, explica que, na nova edição, o programa terá duração de seis meses, com cinco etapas (sprints) que foram reformuladas e aperfeiçoadas para fornecer experiência e aprendizado em negócios e tecnologia ainda melhores para as agtechs participantes.

As startups selecionadas também contarão com benefícios exclusivos, como o uso da infraestrutura de coworking do Innovation Hub Campinas e o acesso gratuito às informações e modelos agropecuários gerados pela Embrapa disponíveis na Plataforma AgroAPI. A ferramenta contempla desde dados sobre cultivares e produtividade até zoneamentos agrícolas. As informações são acessadas por meio de APIs (interface de programação de aplicativos, na tradução do inglês) e podem ser úteis, por exemplo, no desenvolvimento de soluções para planejamento, monitoramento e gestão da produção.

As startups interessadas em participar da segunda rodada do TechStart Agro Digital deverão inscrever propostas de soluções dentro de oito diferentes temas: Gestão de Risco Agrícola; Identificação e Detecção de Pragas e Doenças; Cadeia de Hortifruti; Automação e Robotização no Campo; Biotech; Manejo e Monitoramento; Pecuária de Precisão; e Nutrição e Sanidade Animal.

Para participar, basta preencher o formulário de inscrição disponível no site do programa. As etapas de seleção incluem uma triagem inicial, entrevistas e avaliação jurídica. Concluída estas fases, as startups selecionadas darão início ao processo de aceleração, previsto para iniciar em outubro, à distância ou de forma presencial, seguindo as recomendações e orientações das autoridades de saúde. O programa é encerrado com a apresentação final dos produtos e modelos de negócios das startups graduadas.

O TechStart Agro Digital tem ainda o apoio da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec).

Primeira edição

Iniciado em setembro do ano passado, o TechStart Agro Digital atraiu o interesse de pelo menos 95 startups de 20 estados brasileiros. O primeiro ciclo foi concluído em fevereiro com a graduação de 11 empresas, que apresentaram soluções nas áreas de bioinformática, aplicação de defensivos, operações de crédito, agricultura de precisão, manejo de pastagens, irrigação inteligente, gestão da propriedade, uso de drones e cana-de-açúcar.

Passaram pelo programa mais de 80 mentores, além de representantes de grandes empresas, sendo que ao menos cinco startups receberam propostas de investimento durante o processo de aceleração. Três das startups graduadas também foram selecionadas para a terceira edição da chamada de investimentos Pontes para Inovação, uma iniciativa da Embrapa, Cedro Capital e parceiros para conectar agtechs com investidores.

 


ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura