NOTÍCIAS

Embrapa apresentará suas tecnologias dentro da TecnoShow Comigo 2019

“Casa da Embrapa” terá representantes de 12 Unidades da Instituição, que apresentarão trabalhos e ações visando melhoramento de cultivares e tecnologias para a Agropecuária. - Foto: Henrique de Oliveira

Realizada entre os dias 8 e 12 de abril, no Município de Rio Verde-Goiás, a 18ª edição da feira TecnoShow Comigo contará mais uma vez com a presença da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. A “Casa da Embrapa”, nome dado ao espaço permanente da Empresa no evento, terá representantes de 12 Unidades da Instituição, que apresentarão os trabalhos e ações realizadas por seus pesquisadores, visando ao melhoramento de cultivares e tecnologias para a Agropecuária. A exposição se dará por meio de plots, com estudos desenvolvidos nos centros de pesquisas; palestras, que acontecerão tanto no estande da Embrapa quanto no Auditório principal da feira; além do atendimento ao público, por parte dos pesquisadores e analistas da Embrapa, para explicações mais detalhadas dos trabalhos.

Destaques

EMBRAPA TRIGO 

Manejo da Brusone no Trigo 

A doença que mais afeta o trigo no Brasil Central é a brusone, causada por um fungo com potencial bastante destrutivo. As perdas relatadas no Brasil, especialmente para as condições de cultivo no Paraná, no Mato Grosso do Sul e no Cerrado, dependem da suscetibilidade da cultivar e das condições climáticas para o desenvolvimento do fungo.

Nesse tema, a Casa da Embrapa irá demonstrar na Tecnoshow Comigo 2019: os sintomas da doença, as condições de clima para o seu desenvolvimento e as formas de controle para minimizar as perdas, dentre elas a resistência genética, o manejo da cultura, o controle químico e o uso de sistemas de alerta. Mais informações na homepage da Embrapa Trigo

Responsáveis: - Lisandra Lunardi - João Leodato Nunes Maciel 

EMBRAPA INFORMÁTICA AGROPECUÁRIA 

Agritempo Móvel - Sistema de Monitoramento Agrometeorológico (Aplicativo) 

O aplicativo móvel Agritempo e Agritempo GIS - permite aos usuários o acesso, via Internet, às informações meteorológicas e agrometeorológicas de diversos municípios e estados brasileiros. Além de informar a situação climática atual, a base de dados do sistema apoia o desenvolvimento das recomendações do Zoneamento Agrícola de Riscos Climáticos (ZARC), uma política mantida pelo MAPA. Este aplicativo possui as seguintes funcionalidades: mapas de monitoramento, previsão do tempo, índice de seca e de chuvas.

WebAmbiente 

Este é um sistema de informação interativo, que auxilia na tomada de decisão para adequação ambiental da paisagem rural. Contemplando o maior banco de dados já produzido no Brasil sobre espécimes de vegetais nativos para recomposição ambiental, o WebAmbiente possibilita a seleção de espécies lenhosas e herbáceas, de acordo com os biomas nacionais (Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Caatinga, Pampa, Pantanal) e os atributos locais das áreas a serem recompostas.

Esta solução tecnológica foi lançada em 2018, tendo sido desenvolvida pela Embrapa em parceria com outras instituições, como Instituto Nacional de Meteorologia (INMET); Unicamp; e Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/INPE). Mais informações acesse https://www.webambiente.gov.br/

Sistema de Análise Temporal da Vegetação - Satveg 

Esta é uma ferramenta Web desenvolvida pela Embrapa Informática Agropecuária, destinada ao acesso e visualização de perfis temporais dos índices vegetativos NDVI e EVI do sensor MODIS, em qualquer local da América do Sul. Com atualização regular, conforme disponibilidade de imagens pelo LP-DAAC/EOS-NASA, o SATVeg fornece ao usuário uma interface Google Maps, para a localização das áreas de interesse, ferramentas para filtragem das séries temporais, módulos para carregamento de arquivos vetoriais, entre outras funcionalidades.

Agência Embrapa de Informação Tecnológica – Árvores Hiperbólicas - AGEITEC 

A Ageitec é um sistema web que possibilita a organização, o tratamento, armazenamento, a divulgação e o acesso à informação tecnológica e aos conhecimentos gerados pela Embrapa e outras instituições de pesquisa, sobre os produtos e temas do negócio agrícola. Essas informações estão organizadas numa estrutura ramificada em forma de árvore, denominada Árvore do Conhecimento, na qual o conhecimento é organizado de maneira hierárquica. Nos primeiros níveis desta hierarquia, localizam-se os conhecimentos mais genéricos e, nos níveis mais profundos, os mais específicos. Atualmente, há 50 árvores do conhecimento cadastradas, divididas em: cultivos, criações, temáticas e territórios.

Mais informações na homepage da Embrapa Informática Agropecuária

Responsável: - Júnia Rodrigues de Alencar 

EMBRAPA SOJA 

A Embrapa Soja, o Centro Tecnológico para Pesquisas Agropecuárias (CTPA) e a Emater/GO lançarão, no dia 8 de abril, na Casa da Embrapa, a cultivar de soja BRSGO 7654RR. Além disso, serão apresentadas seis cultivares de soja para região Central do Brasil (BRS 511, BRS 388RR, BRS 1001IPRO, BRS 1010IPRO, BRS 1003IPRO, BRS 1074IPRO). A Embrapa Soja também irá apresentar um conjunto de práticas de manejo responsável que vão desde a semeadura à pós-colheita. Outro destaque será a demonstração prática da metodologia Fast-K, teste rápido para determinação da concentração foliar de potássio (K) em condições de campo na cultura da soja.

Lançamento 

Com alto potencial produtivo, a cultivar BRS GO 7654 RR é uma excelente opção de refúgio para soja Bt, uma vez que existem poucas cultivares com esta tecnologia no mercado. É uma cultivar transgênica, com tolerância ao glifosato e excelente resistência ao acamamento, resistência à Pústula bacteriana e ao Cancro da haste, com moderada resistência à Mancha "olho-de-rã" e ao Oídio.

FAST-K 

A proposta desta tecnologia é melhorar o manejo nutricional da soja, por intermédio de um teste foliar que avalia na lavoura de soja a concentração de potássio (K), macronutriente fundamental para o desenvolvimento das plantas. A avaliação permite corrigir possíveis deficiências nutricionais com agilidade, pois substitui as atuais análises laboratoriais convencionais mais demoradas. Mais informações na homepage da Embrapa Soja

Responsável: - Fábio Ortiz 

EMBRAPA ARROZ E FEIJÃO 

A Embrapa Arroz e Feijão apresentará na Tecnoshow, na área interna da Casa da Embrapa, as cultivares de feijão BRS FP403 (Preto), BRS FC104 (Feijão Carioca) e os feijões especiais BRS Ártico (Branco), BRSMG Realce (Rajado) e BRS Embaixador (vermelho escuro grande). Na parte externa, em vitrine, estarão expostas as cultivares de arroz BRS 501CL, BRS Serra Dourada, além das Plantas de Cobertura (Crotalária, Feijão Guandu, Feijão de Porco e Brachiária).

BRS 501CL 

É a primeira cultivar de arroz de terras altas, com tolerância ao herbicida Kifix, que apresenta alto potencial produtivo. Destaca-se pela boa qualidade de grãos, com alto e estável rendimento industrial. Devido à tecnologia Clearfield, é indicada para utilização em Sistema Plantio Direto, principalmente, em áreas com problemas de plantas daninhas, ou, ainda, em consórcio com forrageiras, visando recuperação de pastagens degradadas. Esta solução tecnológica foi desenvolvida pela Embrapa em parceria com outras instituições.

BRS FC104 

Lançado em 2018, lá mesmo na Tecnoshow, a BRS FC104 é a primeira superprecoce do mercado, produzida pela Embrapa. Do tipo carioca, a cultivar tem ciclo abaixo de 65 dias (da semeadura à maturação dos grãos), fato que representa vantagem competitiva para o agricultor. Geralmente, uma variedade de feijão possui ciclo de 90 dias, sendo as mais precoces com ciclo em torno de 75 dias. Além dessa característica, a BRS FC104 apresenta elevado potencial produtivo, chegando, em média, a 3.792 kg/ha, com produtividade de aproximadamente 60 kg de grãos para cada dia de ciclo. Em relação às doenças, a cultivar é moderadamente resistente à ferrugem e moderadamente suscetível à antracnose, ao crestamento bacteriano-comum e à murcha de curtobacterium.

Esta solução tecnológica foi desenvolvida pela Embrapa em parceria com outras instituições. Mais informações na homepage da Embrapa Arroz e Feijão

Responsável: - Ricardo Cohen 

EMBRAPA HORTALIÇAS 

A vitrine de tecnologias desenvolvidas pela Embrapa na 18ª edição da Tecnoshow Comigo, vai contar com uma cultivar de grão-de-bico que tem chamado a atenção de produtores de norte a sul do País: a BRS Aleppo, destaque da Embrapa Hortaliças no evento. O nome homenageia a segunda maior cidade da Síria, de onde foram trazidos materiais, provenientes de ensaios, selecionados pela Embrapa, em parceria com a Universidade de Brasília (UnB), com base em características consideradas promissoras.

Cultivar com aptidão industrial e produtividade média de 30 sacas por hectare, em média, a BRS Aleppo não exige grandes aportes de água, ao longo dos quatro meses de seu ciclo de produção. Outro atrativo diz respeito à demanda por grão-de-bico por parte de países asiáticos, grandes consumidores da leguminosa.

Os visitantes da Casa da Embrapa terão acesso, também, a informações mais detalhadas de outras leguminosas (feijão-vagem, ervilha e lentilha), por meio dos integrantes da Unidade, e poderão, ainda, adquirir o livro “Hortaliças Leguminosas”, que traça um histórico sobre a origem de cada um desses alimentos, suas especificidades botânicas, nutricionais, potencialidades de mercado e comercialização, e tecnologias desenvolvidas com relação à prevenção de doenças, irrigação, tratos culturais, entre outros. Mais informações na homepage da Embrapa Hortaliças

Responsável: - Caroline Pinheiro Eeyes 

EMBRAPA MILHO E SORGO 

A participação da Unidade terá a apresentação do sistema de produção de Minimilho e das cultivares BRS-380 (sorgo granífero) e BRS-1502 (Milheto).

O minimilho é a espiga de milho jovem, colhido antes da polinização, ou seja, antes da formação dos grãos. Pode ser processado para produção de conservas ou servido in natura, em saladas. Sua exploração permite a diversificação da produção, agregando valor e aumentando a receita para agricultores. Qualquer cultivar de milho produz minimilho, desde que utilizadas as técnicas de manejo adequadas.

BRS-380, híbrido simples de sorgo granífero, foi desenvolvido para atender à crescente demanda por cultivares precoces e de alta produtividade, adaptadas aos sistemas de plantios em sucessão à soja. Apresenta ótimo desempenho nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, com produtividade de quatro a seis toneladas de grãos por hectare, com ciclo precoce.

O Milheto BRS-1502 é uma cultivar desenvolvida como produtora de grãos, de forragem e de palhada de alta qualidade, com crescimento rápido, alta capacidade de rebrota e de extração de nutrientes. É uma variedade de polinização aberta, de ciclo médio, 60 dias da emergência ao florescimento, apresentando boa capacidade de perfilhamento e de recuperação na rebrota. Tem bom potencial de produção de massa em sistemas de plantio direto e alta produção de grãos. Mais informações na homepage da Embrapa Milho e Sorgo

Responsável: - Luiza Tavares 

EMBRAPA MANDIOCA E FRUTICULTURA 

Multiplicação Rápida de Material Propagativo de Mandioca 

A baixa taxa de multiplicação é um dos obstáculos à propagação da mandioca em larga escala. De cada planta, obtém-se de 5 a 10 manivas, de 20cm de comprimento, num período médio de 12 meses, o que equivale a dizer que a taxa de propagação da mandioca varia de 1:5 a 1:10.

Um processo simples e barato é a multiplicação rápida que consiste em cortar as hastes da planta de mandioca em pedaços com duas ou três gemas e plantá-las em canteiros cobertos com plástico transparente para reter o calor do sol.

BRS CS – 01 

A BRS CS 01 é uma cultivar de mandioca para a indústria, recomendada para cultivo nas regiões Sul/Sudeste do Mato Grosso do Sul, Noroeste e extremo Oeste do Paraná. Alia a precocidade (que permite ao agricultor colher com cerca de 12 meses) à capacidade de aumentar significativamente a produtividade, quando colhida com dois ciclos, característica altamente demandada pela cadeia produtiva. Quanto às principais doenças que ocorrem nesses locais, a BRS CS 01 apresentou comportamento semelhante às variedades mais plantadas, em relação à bacteriose e antracnose, e ligeiramente superior, isto é, menos suscetível, ao superalongamento. O seu porte é reto, o que a torna apropriada ao plantio mecanizado, e o seu percentual elevado de cobertura do solo permite um número menor de capinas, resultando em diminuição do custo com essa operação.

BRS 399 

Trata-se de cultivar de mandioca de mesa, de polpa amarela e alta produtividade, podendo alcançar até 70 toneladas por hectare. Por ter uma arquitetura pouco ramificada, os tratos culturais são favorecidos. Em função de sua precocidade deve ser colhida, preferencialmente, de oito a doze meses após o plantio. O tempo de cozimento das raízes é reduzido e sua massa tem textura farinácea, sabor característico e ausência de fibras, características culinárias consideradas positivas. Apresenta moderada resistência à bacteriose e ao superalongamento, sendo recomendada para o Distrito Federal e Entorno, bem como para os Estados do Paraná e Mato Grosso do Sul, sendo mais indicada para o plantio em solos de média a alta fertilidade.

BRS 396 

Trata-se de cultivar de mandioca de mesa de polpa amarela com alto teor de betacaroteno (precursor da vitamina A). Alcança produtividade de até 50 toneladas por hectare, devendo ser colhida de sete a doze meses após o plantio. Por ter uma arquitetura pouco ramificada, os tratos culturais são favorecidos. A colheita também é facilitada, em função da disposição horizontal da maioria das raízes, o que favorece o arranquio e despenca. A cultivar apresenta raízes uniformes, o que facilita sua comercialização. Com reduzido tempo para cozimento, sua massa das raízes quando cozida apresenta textura farinácea, sabor característico e ausência de fibras, características culinárias consideradas positivas. Além destas características, BRS 396 apresenta moderada resistência à bacteriose e ao superalongamento, sendo recomendada para o Distrito Federal e Entorno, bem como para os Estados do Paraná e Mato Grosso do Sul, sendo mais indicada para o plantio em solos de média a alta fertilidade.

BRS Imperial 

Cultivar abacaxi indicada para plantio em regiões adequadas à abacaxicultura, especialmente onde a fusariose é fator limitante para a produção. Além de ser resistente à fusariose, a planta tem porte médio e apresenta folha de cor verde escuro, sem espinhos nas bordas. O fruto é pequeno, cilíndrico, casca de cor amarela na maturação. A polpa é amarela, com elevado teor de açúcar e acidez titulável moderada. Tem por diferencial as folhas completamente lisas e resistência ao escurecimento interno do fruto, o que a torna mais adequada para a exportação, com boa aceitação no mercado internacional. Os frutos obtidos podem ser destinados para o mercado de consumo in natura e para a industrialização.

BRS Princesa 

Atende à demanda de frutos da cultivar ‘Maçã’, em escassez no mercado, devido a suscetibilidade dessa cultivar ao mal-do-Panamá. Atinge boa produtividade, em torno de 15 a 20 t/ha, com porte menor que o da 'Maçã'. Possui a vantagem de ser tolerante ao mal-do-Panamá, além de ser resistente à Sigatoka-amarela. Mais informações na homepage da Embrapa Mandioca e Fruticultura

Responsáveis: - Herminio Souza Rocha - Helton Fleck da Silveira 

Unidades da Embrapa presentes na Tecnoshow/2019 

- Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia 

- Embrapa Solos 

- Embrapa Algodão 

- Embrapa Hortaliças 

- Embrapa Soja 

- Embrapa Trigo 

- Embrapa Informática Agropecuária 

- Embrapa Arroz e Feijão 

- Embrapa Mandioca e Fruticultura 

- Embrapa Milho e Sorgo 

- Embrapa Gado de Leite 

- Embrapa Gado de Corte

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura