NOTÍCIAS

Estimativa de produtividade da cana aumenta na safra 2019/20

Apesar da estiagem em dezembro e janeiro, as chuvas posteriores favoreceram o desenvolvimento das lavouras, e as condições climáticas atuais têm contribuído para uma boa colheita. - Foto: Wenderson Araujo/CNA

A colheita da cana de açúcar está praticamente encerrada na Região Centro-Sul e em alguns estados do Nordeste, segundo levantamento divulgado nesta quinta-feira (19/12), pela Conab - Companhia Nacional de Abastecimento.

O início da safra na Região Norte/Nordeste, na maioria dos estados, aconteceu a partir de agosto e deve se estender até março. Vários fatores podem influenciar o resultado desse parâmetro, entre eles, características definidas através de factores do meio tais como o clima, o relevo, a litologia, a temperatura, a umidade do ar, a radiação, o tipo de solo, o vento, a composição atmosférica e a precipitação pluvial.

Apesar da estiagem em dezembro e janeiro, as chuvas posteriores favoreceram o desenvolvimento das lavouras, e as condições climáticas atuais têm contribuído para uma boa colheita. Dessa forma, a estimativa é de uma produtividade melhor que na safra passada, aumentando de 72.234 kg/ ha em 2018/19, para 75.783 kg/ha em 2019/20.

Safra de cana no Sudeste  

Em São Paulo, o rendimento estimado é de 79.231 kg/ha, representando aumento de 5,4% em relação à safra anterior. As chuvas ocorridas em abril e maio contribuíram para esse aumento de produtividade.

Em Minas Gerais, a produtividade média deverá ser 10,8% maior que na última safra. Somada às boas condições climáticas que ocorreram durante a primeira metade do ano, o principal fator para esse incremento é o tecnológico. Houve a renovação gradual das lavouras, com introdução de novas variedades, melhoria no manejo da cultura, com redução de possíveis falhas durante o plantio, e melhoria nos tratos.

Safra de cana no Centro-Oeste 

Em Goiás, a expectativa é de um rendimento médio 4,6% maior que o obtido na temporada passada, devendo ficar em 79.870 kg/ha. As boas condições de chuvas e os investimentos feitos na safra passada foram determinantes para esse resultado.

Em Mato Grosso do Sul, fatores climáticos adversos como uma estiagem ocorrida entre maio e junho e a forte geada na primeira semana de julho, prosseguida pelo período de seca, prejudicaram o rendimento das lavouras. A estimativa aponta para um rendimento de 73.537 kg/ha, 3,8% menor que na safra passada.

Safra de cana no Sul 

No Paraná, a produtividade média estimada é de 63.972 kg/ha, o que representa um acréscimo de 2,6% em relação à safra passada, reflexo da renovação das lavouras na última safra. No entanto, este resultado está abaixo do esperado no levantamento anterior devido à geada ocorrida em julho e à estiagem entre agosto e outubro, deste ano.

Safra de cana no Nordeste

Em Alagoas, os investimentos realizados, bem como as melhores condições climáticas ocorridas, indicam uma produtividade 9,8% maior que na última safra. 

Em Pernambuco, de maneira geral, as chuvas que ocorreram no decorrer deste ano foram favoráveis para as lavouras. A inserção de áreas de renovação, implantadas na safra passada, ajuda a explicar o incremento na produtividade média, que está estimada em 54.243 kg/ha, (crescimento de 9,8% em relação ao resultado verificado da safra 2018/19).

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura