NOTÍCIAS

Locação de máquinas no segmento florestal pode gerar economia de até 15%

A locação de máquinas para atuação no segmento florestal pode ser uma opção mais econômica se comparada aos custos de aquisição e manutenção de um equipamento desse tipo. De acordo com análise realizada pela Ouro Verde, especialista em gestão e terceirização de frotas de veículos, a economia de recursos pode chegar a 15% em alguns casos. Tudo depende do tipo de maquinário, quantidade de veículos locados e também do modo de operação.

No geral, entre as vantagens da alternativa para a empresa que opta pela locação, estão o menor índice de endividamento e redução da descapitalização, já que não é necessário dispor de grandes investimentos para a compra de ativos. Além disso, a modalidade de locação proporciona aumento da produção média e da produtividade do maquinário, devido ao potencial para redução do nº de equipamentos utilizados. Com isso, de acordo com o Head comercial de locação de Pesados da Ouro Verde, Marluz Renato Cariani, conquista-se aumento da receita média e maior foco no negócio para a empresa contratante. Outra grande vantagem da locação está relacionada com a desmobilização do equipamento, que é facilitada pela empresa terceirizadora.

Para o setor florestal, podem ser locadas máquinas destinadas a transporte, colheita, silvicultura e manutenção de estradas. De acordo com Cariani, a maioria das empresas ainda opta pela compra de maquinário, no entanto, tem aumentado o número de adeptos à locação de máquinas no setor florestal. “Antes não havia opção assertiva que representasse vantagem financeira na terceirização. Atualmente já é uma alternativa viável e que representa maior produtividade dos equipamentos e economia de recursos”, explicou.

Comparativo de máquinas florestais 

Ainda segundo o gestor, além de comparar o valor de compra e os custos envolvidos na locação, a análise leva em consideração as despesas mensais com manutenção. De acordo com o especialista, em um caso hipotético de uma colheitadeira destinada a operações de corte, a economia seria de quase 10% por equipamento. “É importante lembrar que a opção pela locação permite recuperação de crédito proveniente de recolhimento dos impostos PIS e Cofins, que tem alíquota de 9,25% “, destaca.

O gerente explica, ainda, que veículos desse tipo costumam ficar imobilizados por 72 meses no caso de compra, sendo que, após os primeiros 36 meses de uso, ele deixa de ter boa disponibilidade mecânica, o que acarreta em maiores custos de manutenção e consequentemente menor produtividade. Por outro lado, no caso da locação, o tempo de contrato costuma ser de 36 meses, garantindo que a utilização da mesma seja mais produtiva.

Percentualmente, de acordo com o especialista, um equipamento utilizado por apenas 36 meses tem produtividade média de 87%, enquanto um utilizado pelo dobro do tempo tem produtividade média de 75%. “Dependendo do número de máquinas e tipo de equipamento locado, isso pode representar ganho de produtividade de aproximadamente 1 mês e meio por ano”, ressaltou.

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura