NOTÍCIAS

Maior exportador de mangas premium do Brasil tem aumento na produção com irrigação por gotejamento

Engenheiro elétrico e professor universitário, o pernambucano Paulo Roriz Dantas, é fundador da Agropecuária Roriz Dantas, a Agrodan. Maior exportadora de mangas premium do Brasil, de acordo com a Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (ABRAFRUTAS), a empresa possui sete fazendas entre Pernambuco e Bahia, na região do Vale do Rio São Francisco.

“Há 33 anos começamos o projeto com 41 ha e desacreditados por muitos. Com muita garra, base em pilares sólidos de qualidade, valorização dos funcionários e de cumprimento de compromisso com os clientes, conquistamos o mercado da Europa e agora estamos determinados a conquistar o mercado interno”, conta Dantas.

Segundo o gerente corporativo da Agrodan, André Muritiba, outra política de valor da empresa é a sustentabilidade e por esse motivo foi implantado o sistema de irrigação por gotejamento. “A transformação do ciclo produtivo, após o início do novo método de irrigação, se alinhou com nosso planejamento estratégico. O aumento na produção foi de aproximadamente 20% e houve a redução no custo operacional entre 20 e 30%. Garantimos economia de água, sustentabilidade e maior produtividade possível com menor custo por hectare”, detalha Muritiba.

“A princípio, a Agrodan utilizava o sistema de microaspersão para irrigação da manga, comum até hoje em muitas fazendas do Vale do São Francisco. Ela inovou e desafiou a crítica de muitos ao adotar irrigação por gotejamento na manga. Hoje, é unanimidade a utilização de gotejamento entre os grandes consultores de manga da região. Algumas áreas, muito arenosas, se utiliza até 4 linhas de gotejo por linha de plantas, mas a adoção dessa tecnologia proporcionou à empresa explorar o máximo potencial genético da planta, através da nutrirrigação, aumentando expressivamente a produtividade com custos reduzidos”, conta Glayton Rocha, da Netafim.”

De 1,6 mil variedades de mangas que existem no mundo, a Agrodan produz duas: a keitt e a kent. Mayricon Coelho, gerente da fazenda Ilha Grande, uma das áreas do grupo com 126 ha, conta que um desafio da produção das frutas é encarar o clima seco e sem precipitação e que os principais aliados para solucionar as dificuldades são o Rio São Francisco e investimentos em tecnologia, como a irrigação por gotejamento. “Ela tem eficiência não só pela irrigação em si, mas pela redução no custo da manutenção e garantia da aplicação da nutrirrigação. O gotejamento coloca adubo direto nas bocas das plantas, que são as raízes. É garantia de maior produtividade”, diz o gerente. Ainda segundo ele a estimativa de produção é de 50 toneladas por ha, o que para a variedade kent é um ótimo resultado.

Hoje a empresa tem 50 vezes sua área inicial, emprega mais de 1500 colaboradores e cumpre função social, através da construção e manutenção de uma escola de referência na zona rural de Belém de São Francisco (PE). Segundo o fundador, a expectativa é duplicar a empresa nos próximos anos. “O crescimento sustentável da Agrodan deveu-se através de parceria com colaboradores, comunidades, bancos, clientes, fornecedores... E dentre esses um parceiro silencioso que é a Netafim que trabalha dia e noite, sem parar, colocando gota a gota o líquido precioso e os insumos necessários ao desenvolvimento de nossas frutas”, comemora Dantas.

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura