NOTÍCIAS

Manejo nutricional e antiestresse em frutas e hortaliças ajudam reduzir perdas

Um dos aliados para ajudar manter a qualidade dos produtos é o manejo nutricional, fundamental para explorar o potencial genético da planta.

Entre as culturas produzidas no campo, as que precisam de cuidados especiais e maior atenção por parte dos produtores são as frutas e hortaliças. As variedades são mais sensíveis e suscetíveis às intempéries e por isso são mais perecíveis. Um dos aliados para ajudar manter a qualidade dos produtos é o manejo nutricional. Ele é fundamental para explorar o potencial genético da planta.

Além do cuidado especial com a nutrição das culturas, em algumas situações é necessário que o produtor faça o manejo antiestresse. “As principais situações que podem levar a esse quadro são a falta de nutrientes, a falta ou excesso de água, uso de algum tipo de defensivo de forma errada ou em dose errada, o calor excessivo, ou uma amplitude térmica elevada”, diz Tiago Dias Troccoli, Técnico Agrícola e RTV da Ubyfol, multinacional brasileira que desenvolve fertilizantes especiais.

Ainda segundo ele, a principal forma de identificar se uma planta está estressada é visualmente. “Geralmente elas ficam com as folhas anormais, encarquilhadas, com coloração mais amarelada, desenvolvimento de entrenó anormal, abortamento de flores e frutos”, destaca Troccoli.

O manejo antiestresse, nem sempre se faz necessário, pois só deve ser realizado em situação pontual. De acordo com o especialista em nutrição de plantas e também RTV da Ubyfol, Allyson Moura, mesmo fazendo o manejo nutricional adequado, pode existir algum tipo de estresse nas plantas, seja ele causado por fator biótico ou abiótico.

O estresse biótico pode ser causado pelo ataque de fungos de solo afetando o sistema radicular da planta. Já o estresse abiótico ocorre em situações de excesso de chuva em um curto espaço de tempo. Quando acontece um desses dois fatores, a planta, para tentar reagir, ela retém os aminoácidos para sair da situação de estresse. Com isso ela deixa de produzir proteínas e alguns elementos essenciais para manter o desenvolvimento das folhas, dos frutos e da flor.

De acordo com Moura, a planta simplesmente realoca os aminoácidos como forma de se defender e sair da situação de estresse. “A grande tática do manejo antiestresse é fornecer aminoácido prontos para que a planta não precise gastar energia deixando de produzir folhas, flores ou frutos”, destaca.

Soluções para manejo antiestresse 

Entre as opções disponíveis no mercado para o manejo antiestresse, estão três soluções da Ubyfol. Segundo Allyson Moura, no caso de dano causado no manejo radicular, por exemplo, o recomendado é a utilização do Byofol. O produto contém todos os aminoácidos essenciais e não essenciais para o desenvolvimento vegetal. Sua formulação atende não só as necessidades de um condicionador de solo, mas também nos estímulos da germinação e no desenvolvimento das plantas, maximizando a absorção e translocação dos nutrientes. “A medida que a raiz vai sendo afetada por um fungo, utilizamos esse produto que tem matéria orgânica para ajudar emitir uma raiz nova para compensar a que foi afetada e aminoácidos para fazer sair da situação de estresse”, afirma Moura.

Simultaneamente ao Byofol, é recomendado a aplicação foliar de dois produtos, o Kymon Plus e o Ubyverde. O primeiro é um fertilizante organomineral que destaca-se pelas ações estimulante, nutricional e desintoxicante, além de conferir a planta maior capacidade de se recuperar de danos causados por estresse. Já o segundo é um complexo nutricional que contém um balanço de macro e micronutrientes associados a um alto teor de carbono orgânico - fonte de aminoácidos fundamentais à saúde da planta. A fórmula líquida permite que seja aplicado com defensivos e outros fertilizantes ideais para produtores de frutas e hortaliças. 

Para Moura, essa combinação é importante porque existe diferentes situações de estresse nas plantas. Em alguns casos, somente fornecendo aminoácidos a planta já sai daquele cenário, mas em outros, é necessário um complexo nutricional para que ela consiga translocar e possa atender alguma necessidade nutricional pontual por qual esteja passando. “Por isso a importância do Ubyverde, um complexo macro e micro com aminoácidos”, destaca o RTV da Ubyfol.

Ainda segundo o especialista, é importante destacar que não tem como mensurar o prejuízo ou dano que o produtor pode ter ao não realizar o manejo nutricional e antiestresse adequado. Contudo, é comprovado que não realizar corretamente os procedimentos, com certeza terá uma perda de produtividade muito significativa. “Podemos garantir que utilizando os produtos no momento ideal, as perdas serão mínimas. Sempre é importante relembrar, o manejo nutricional tem que existir numa lavoura, já o antiestresse em situação pontual”, finaliza Moura.

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura