NOTÍCIAS

Manejo químico é alternativa para combater lagarta-do-cartucho

Inseticida BrilhanteBR da Ourofino age de modo sistêmico e de contato, com ação de choque, para o manejo de pragas e seletivo aos principais inimigos naturais. – Foto: Wenderson Araujo/CNA

Alguns fatores podem interferir na produtividade das lavouras como a ocorrência da lagarta-do-cartucho (Spodoptera frugiperda), uma praga com grande potencial de dano.

Nos últimos anos, a incidência dessa praga tem crescido consideravelmente, e outras lavouras também podem ser atingidas. De acordo com o pesquisador da área de inseticidas da Ourofino Agrociência, Hélvio Campoy, na soja, por exemplo, ela ataca principalmente as estruturas reprodutivas da planta. Já no milho, a lagarta está presente desde a emergência da cultura até a formação das espigas.

“As mariposas fêmeas colocam seus ovos nas folhas da planta e após alguns dias ocorre a eclosão das lagartas. Os insetos recém-eclodidos se alimentam inicialmente das cascas dos próprios ovos e depois iniciam a raspagem das folhas, deixando os sintomas típicos da praga”, explica.

Um ponto que favorece a infestação da praga é a disponibilidade de alimentos durante o ano todo, uma vez que a lagarta é considerada polífaga, ou seja, capaz de se alimentar de plantas de diferentes espécies. Por isso, o controle químico é uma das principais ferramentas para combater esta praga.

Com foco no produtor rural, os produtos desenvolvidos pela Ourofino Agrociência estão alinhados às características específicas do Brasil, focados no combate à infestação de pragas e doenças. É o caso do inseticida BrilhanteBR, que age de modo sistêmico e de contato, com ação de choque, para o manejo de pragas e seletivo aos principais inimigos naturais.

Segundo o gerente de Produtos Inseticidas da Ourofino Agrociência, Marco Antonio Drebes da Cunha, este produto pode ser utilizado no manejo pré-plantio, no processo de dessecação, tanto na cultura do milho como na soja. “A aplicação correta diminui a incidência de lagartas na fase de desenvolvimento inicial das culturas”, enfatiza Cunha.

Outra tecnologia no combate a esta praga é o inseticida CapatazBR. Ele atua com ação de choque e apresenta característica de ingestão. “Este produto faz com que a lagarta saia de sua zona de proteção e fique exposta à ação do produto, o que melhora o controle e mortalidade da lagarta”, destaca.

O CapatazBR é indicado para ser utilizado nos primeiros estágios de desenvolvimento do milho para interromper o avanço da infestação da praga. “Além do controle de lagarta-do-cartucho, o CapatazBR é uma ferramenta eficaz no manejo da lagarta-rosca, garantindo o estabelecimento da cultura no campo”, enfatiza Marco Antonio.

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura