NOTÍCIAS

New Holland Agriculture assume liderança no mercado de colheitadeiras no Paraguai

As novas versões de colheitadeiras da linha CR EVO, que oferece o exclusivo sistema de duplo rotor, conquistaram os produtores do Paraguai.

A New Holland Agriculture, marca da CNH Industrial, assumiu a liderança no mercado de colheitadeiras no Paraguai. Como 4º maior exportador de soja do mundo, o país foi o que mais cresceu economicamente na América do Sul na última década, com mais de 4% ao ano, em média, de crescimento, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI).

É neste cenário pujante que a New Holland Agriculture se consolida na primeira colocação entre as colheitadeiras, com mais de 42% do mercado em 2018, segundo dados consolidados pelos importadores de máquinas agrícolas do Paraguai.

Para o diretor comercial de exportação da New Holland Agriculture, Fernando Gaya, a primeira colocação foi conquistada com um trabalho intenso de expansão do portfólio, desenvolvido nos últimos anos, mas principalmente em 2017 e 2018. “Nós revisamos, renovamos e expandimos nosso portfólio de produtos. As novas versões de colheitadeiras da linha CR EVO, que oferece o exclusivo sistema de duplo rotor, principalmente das classes 6, 7 e 8, agradaram muito e conquistam cada vez mais espaço no mercado. E na tradicional linha TC, consolidamos ainda mais nossa posição, com modelos únicos, requisitados por produtores de diferentes perfis”, diz.

Segundo Gaya, a New Holland Agriculture também investiu bastante em treinamento comercial e assistência técnica nos últimos anos. “Oferecemos os nossos produtos com excelência, mas também damos o melhor suporte técnico e assistência para as máquinas que estão em operação. Nos últimos dois anos, pela primeira vez, fizemos treinamentos exclusivos no Paraguai, não só para as colheitadeiras, mas para todos os produtos”, conta.

A disponibilidade de máquinas e peças, o foco na distribuição e a preparação para safra também fizeram diferença no alcance do topo. “Nos últimos anos, visitamos diferentes clientes em uma jornada pré-safra. Com base no que ouvimos, montamos um estoque reforçado de peças para oferecer o melhor e o mais rápido suporte nos momentos de pico. Investimos muito no pós-venda”, ressalta.

Fernando Gaya afirma que o Paraguai é um mercado prioritário para New Holland Agriculture. “Nós estamos investindo cada vez mais para crescer no país, não apenas em colheitadeiras, mas em tratores, pulverizadores, plantadeiras. É um mercado estratégico para nossa operação na América Latina. Em 2019, esperamos um resultado superior ou semelhante. E posso adiantar que teremos boas novidades para o país neste ano”, revela.

Mercado

Importadora de produtos da New Holland há 40 anos, a concessionária Tape Ruvicha está animada com a liderança. “A linha CR EVO realmente fez a diferença no mercado paraguaio. A TC nunca decepcionou, mas a procura pela CR EVO fez com que a marca desse um salto no país. Acredito que com investimento em marketing e publicidade, vamos manter a liderança em 2019”, diz Victor Servín, gerente geral da importadora no país.

Gedor Vieira, que há dois anos trabalha com a New Holland na importadora Ciabay, também ressalta a linha CR EVO no bom desempenho da marca no país. “A renovação da linha provocou uma aceitação muito grande entre os produtores. E no Paraguai, a propaganda boca-a-boca ainda tem muita força, foi o que fez a diferença. Não há concorrência para a linha TC. Ela sempre foi muito bem aceita. Estamos apostando muito em treinamento e pós-venda. Em 2019, temos uma grande possibilidade de aumentar ainda mais a nossa participação”, acredita. “É o segundo ano consecutivo de alta no mercado de grãos no país. Isso deu ânimo para os produtores investirem, principalmente com boas ofertas de financiamento”, complementa.

As concessionárias e importadoras Tape Ruvicha e Ciabay atendem em todo território paraguaio.

Paraguai

De acordo com dados da Câmara Paraguaia de Exportadores e Comercializadores de Cereais e Oleaginosas (Capeco), na safra passada, o Paraguai produziu 9,5 milhões de toneladas de soja e 4,2 milhões de toneladas de milho³. No ciclo deste ano, o mesmo órgão estima um crescimento de 7% na oleaginosa (9,8 mi de t); e 2% no cereal (4,2 mi de t).

Terceiro maior mercado de colheitadeiras da América Latina e um dos maiores produtores de grãos do mundo, 30% da economia do país sai do campo. A produção paraguaia de soja aumentou 43% na última década. A de milho aumentou 60%. Segundo estimativas do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), na próxima década, se manter o ritmo de crescimento, a produção pode crescer 20% e 44% na soja e milho, respectivamente.

ver mais notícias