NOTÍCIAS

Perfect Flight está entre as 10 agtechs selecionadas pelo Google para programa de aceleração de startups

Avaliação de dados climáticos e leituras geográficas inteligentes aumentam a assertividade e segurança da aplicação de defensivos agrícolas, garantindo mais produtividade e proteção ambiental. - Foto: Divulgação

Economia, meio ambiente, sustentabilidade, rentabilidade, inovação e produtividade. Essas são as palavras que têm definido a revolução digital pela qual a agricultura nacional tem passado nos últimos anos. A circulação de dados entre equipamentos altamente tecnológicos, baseados em estruturas de inteligência artificial, oferece às plantações mais sustentabilidade e rentabilidade, com mecanismos inovadores para a rotina da produção. 

Uma das selecionadas da nova edição do Google for Startups Accelerator, programa voltado para startups em estágio de crescimento, com treinamento personalizado para áreas técnicas, de produto e liderança – que nesta edição é voltado para agtechs – é a brasileira Perfect Flight, responsável por um sistema para gestão e análise de pulverizações aéreas, caminha justamente nessa direção. Com mais de 17 milhões de hectares digitalizados, a plataforma possui o maior banco de dados para pulverização agrícola do mundo.

Através do projeto a empresa está aprimorando uma nova ferramenta para leitura climática, e de outras condições correlacionadas, para oferecer, entre os seus serviços, a possibilidade de avaliação prévia completa, de forma simples e com menos custos. O foco é ajudar o produtor a ser mais assertivo, prevenindo desperdícios e prejuízos ambientais, com informações climáticas, sem a necessidade de equipamentos específicos para a avaliação do tempo. 

Ou seja, a tecnologia abre espaço para que mais pessoas possam monitorar o clima, mesmo que não possuam instaladas em suas propriedades os instrumentos próprios para este fim. A alternativa é mais barata e, embora tenha precisão um pouco menos apurada, já representa um salto considerável para as produções que antes não poderiam realizar tal análise, devido principalmente aos custos.  A expertise orientada pelo Google tem colaborado para aumentar ainda mais sua eficácia. 

O trabalho em conjunto segue até o dia 5 de novembro, mas a experiência abre portas para um relacionamento mais duradouro em outras oportunidades.

"No nosso recém-lançado Relatório de Impacto, abordamos o quanto as startups transformam positivamente o agronegócio. Foram inovações na produção, logística, financiamento e comercialização em um dos setores mais importantes do país. É uma satisfação para nós poder trabalhar com startups como a Perfect Flight, que ampliam o ecossistema empreendedor no interior do país por meio do uso da tecnologia e geram um grande impacto para a economia brasileira", comenta André Barrence, Diretor do Google for Startups para América Latina.

Na prática, será possível conhecer, com o máximo de detalhes, de forma alternativa ao modelo que exige o uso de receptores e comunicadores instalados fisicamente na área, todos os eventos temporais que irão acometer o terreno, e assim estabelecer um cenário para o próximo calendário de pulverização. O sistema da Perfect Flight, atualmente, já possibilita a criação de um planejamento de voo através do Pré-voo para os pilotos realizarem uma pulverização aérea assertiva.

“Essa varredura de tempo e clima pode ser feita por gadgets instalados nas propriedades rurais, e nosso aplicativo também irá ler e organizar esses dados. Porém, o que nós estamos desenvolvendo, com a expertise e a colaboração do Google, é a possibilidade de fazer essa análise sem a necessidade desses instrumentos, deixando o serviço mais barato. Isso, é importante dizer, mantendo uma boa precisão para a construção de estratégias de aplicação”, comentou Ricardo Verhaeg, CTO da Perfect Flight.

Pulverização aérea

Para este segmento, o acompanhamento das questões climáticas, por exemplo, é fundamental. Umidades relativas abaixo de 65% com temperaturas acima de 30 graus, podem fazer o produto evaporar. Bem como os ventos fora da faixa de 3km/h a 10 km/h estimulam o processo de deriva, que desvia o defensivo do alvo principal a outras áreas.

A lógica do tratamento oferecido às safras ganhou outra dimensão, que observa com cautela e atenção redobrada os cuidados com a natureza. O setor de pulverização de defensivos agrícolas aéreo está entre os mais beneficiados pelas novas soluções desenhadas em códigos. Principalmente pela evolução das mecânicas de monitoramento, que permitem aplicações mais estratégicas, reduzindo custos, preservando ainda mais os alimentos, aumentando a produtividade e a segurança ambiental.

Georreferenciamento

Em outra frente, a AgTech também está trabalhando com tecnologia Google para aprimorar a plataforma que cruza os dados de georreferenciamento. No caso, a área de aplicação dos defensivos é, usualmente, integrada às informações técnicas que acompanham o avião que fará a pulverização. A proposta é combinar a análise geográfica já disponível pelos serviços de mapas do Google com o aplicativo de controle disponível aos usuários que administram a distribuição do defensivo.

“Nós iremos incorporar esse banco de dados em nuvem disponibilizado pelo Google, deixar a aplicação mais leve e ainda gerar relatórios com mais eficiência. Isso também trará outro benefício interessante, justamente no Data Warehouse, onde estruturamos os nossos dados para a geração de análises. Teremos mais informações, mais conteúdo, para trabalhar e oferecer uma perspectiva ainda mais 360º para o produtor. Tudo em um padrão desburocratizado e de rápido acesso”, complementou.

A novidade poderá permitir que a pulverização de defensivos tenha uma avaliação de performance da aplicação aérea ainda mais apurada. “Ficará ainda mais fácil, no futuro, identificar pontos de variabilidade de biomassa, por exemplo”, diz Ricardo. 

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura