NOTÍCIAS

Perspectiva de clima para a safra de inverno no PR

No Paraná, as chuvas de abril não devem vir com tanta frequência. Há risco para que elas sigam abaixo da média. Essas são as perspectivas climatológicas em geral para a safra de inverno de grãos, cujo plantio deve começar ainda neste mês, no estado.

Porém, no mês de maio com influência do fenômeno El Niño, as instabilidades voltam a ganhar força principalmente no oeste do estado onde já existe risco para que as chuvas fiquem acima da média. Em Junho, por enquanto, as previsões apontam para chuvas volumosas, ficando bem acima da média. Em julho esta chuva já não será tão intensa, porém ainda pode ficar acima da média.

Na safra de verão, faltou chuva no fase de desenvolvimento das lavouras e em abril existe esta possibilidade. Mas, não teremos um longo período de tempo seco, porém as chuvas ficam abaixo da média. Em maio a expectativa será de retorno de chuvas e o risco é baixo para estiagens.

Como devem estar as temperaturas ao longo da safra de inverno

De acordo com a meteorologista Graziella Gonçalves, com a atuação do El Niño, mesmo que fraco, o risco para que as ondas de frio se estendam por muitos dias, mantendo as temperaturas baixas por muito tempo diminui.

Em abril, ainda não há expectativa de nenhuma onda de frio significativa e as temperaturas seguem acima da média. Já em maio, junho e julho, teremos ondas de frio. Quando elas chegarem as temperaturas podem cair mais drasticamente, porém esta queda mais significativa dura poucos dias, além de tudo a umidade segue elevada devido as chuvas mais frequentes. Portanto o risco para geadas generalizadas e muito frequentes é baixo.

Com relação as perspectivas pluviométricas próximo ao período de colheita, após junho é que no mês de julho, as chuvas ainda possam  ficar acima da média, porém as previsões ainda não apontam extremos.

Devido a atuação do El Niño, mesmo que fraco, o risco de haver alguma chuva intensa com muitos transtornos é maior. No momento o mês de junho seria o mais propício, porém ainda há a necessidade de monitoramento, para saber se os eventos se antecipam ou postergam.

ver mais notícias