NOTÍCIAS

Pesquisador Visitante volta dos Estados Unidos com capacitação em Entomologia para fruticultura

O pesquisador Dori Edson Nava, do Laboratório de Entomologia da Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS), concluiu em agosto, deste ano, sua capacitação no curso de Pós-Doutorado na Universidade da Califórnia (Davis, Estados Unidos) como pesquisador visitante. O especialista permaneceu em formação de outubro/2015 a agosto/2016 e foi um dos últimos candidatos da Empresa a concorrer a uma vaga no Programa Corporativo de Capacitação da Embrapa nesta modalidade.

Dori Edson que é agronômo e especialista em Fitossanidade e Entomologia, trabalha em pesquisas sobre bioecologia de insetos-praga e controle biológico, especialmente com pragas da fruticultura de clima temperado, incluindo o grupo das mosca-das-frutas. É um dos responsáveis pela consolidação do Sistema de Alerta Mosca-das-Frutas para cultura do pessegueiro, em parceria com diversas instituições locais, na qual atende as necessidades de centenas de persicultores da Metade Sul, uma das maiores regiões produtoras de pêssego para indústria brasileira.

Nos Estados Unidos fez parte de um grupo de estudo com a espécie do parasitoide de ovos da cigarrinha Anagrus. O trabalho tem como foco conhecer os fatores relacionados ao sucesso reprodutivo de espécies de parasitóides do gênero Anagrus em ambientes agrícolas quando comparados aos oriundos de ambiente natural. Realizou também, durante esse tempo, um curso de Ecologia Evolutiva e fez diversas visitas como à Séka Hills: produção de azeite.

Para ele a experiência foi muito positiva pelo travamento de contato com outras áreas e outros pesquisadores e, ainda, por proporcionar a realização de visitas a outros centros de pesquisa. "Os agentes de controle biológico com insetos-pragas são muito influenciados pelos fatores ambientais. O que vi é que o pessoal leva muito à sério, estuda os maiores fatores para que na hora de usá-los, ele possa expressar todo o seu potencial", expôs Dori. Segundo o pesquisador, a experiência vivida lá demonstrou que no Brasil não há tanto detalhamento nos cuidados com os inimigos naturais, por exemplo. Ele explicou que ao identificar um inimigo natural não se tem noção como é a umidade do ar, como é as condições de chuvas, de permanência de horas frio, horas sol, se o ambiente é, ou não, adequado àquele inseto.

O pesquisador avaliou que os pesquisadores da Universidade da Califórnia não estão tão preocupados com a forma, mas com o resultado e alcance dos objetivos da pesquisa proposta.

Para contar sobre sua formação, intercâmbio de conhecimento e relato de experiências, o pesquisador apresentou um seminário técnico, na última quinta-feira, dia 15/09, para todo grupo de pesquisa da Embrapa.

O pesquisador

É graduado em Agronomia pela UFPel, mestre e doutor em Entomologia pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, Universidade de São Paulo (Esalq/USP). Realizou pós-doutorado na Esalq/USP (2005-2006) e na Universidade da California, Davis (UCDavis) (2015-2016). É pesquisador da Embrapa Clima Temperado e professor permanente nos cursos de Pós-graduação em Fitossanidade e Entomologia da UFPel. É coordenador de projetos financiados pela Embrapa, Cnpq, Fapergs, Capes e Cyted/Espanha atuando em parceria com pesquisadores de instituições nacionais e internacionais (USDA, Moscafrut SAGARPA/SENASICA, INTA e INIA).


ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura