NOTÍCIAS

Pesquisadores avaliam Reconil para ferrugem da soja e doenças de final de ciclo

Ensaios a campo realizados na região de Passo Fundo-RS mostram que sojicultor não deve descuidar de doenças apesar da baixa pressão da ferrugem.

Após o bem-sucedido lançamento do fungicida Reconil em 2018, e menos de um ano após a obtenção do registro do produto para controle da ferrugem da soja, a Albaugh volta a investir no desenvolvimento dessa tecnologia à base de cobre aplicada à oleaginosa. A empresa tem em andamento na região da gaúcha Passo Fundo uma série de estudos a campo envolvendo Reconil, com a consultoria dos pesquisadores Carlos Forcelini, da Agro Tecno, Gerson Meneghetti, da Agroconect e Lucas Navarini, da Planta Conhecimento/ha.

Posicionada entre as referências do mercado de agroquímicos pós-patentes e com investimentos da ordem de R$ 100 milhões em andamento, a Albaugh, ancorada nos resultados já observados nos campos de Passo Fundo, recomenda ao sojicultor não descuidar da prevenção de doenças da soja.

“Com a falta de chuvas generalizadas no estado do Rio Grande do Sul, a ferrugem asiática, principal doença da soja, tem baixa incidência até o momento. Contudo o produtor precisa ficar atendo à ocorrência de outras doenças, tais como oídio, manchas-foliares e as doenças de final de ciclo, como cercospora e septoria, para não registrar prejuízos significativos nesta safra”, ressalta Reginaldo Sene, engenheiro agrônomo, diretor de marketing da companhia.

Conforme o executivo, a atenção ao manejo correto de fungicidas preventivos na sojicultura é referendada pelos pesquisadores-consultores participantes dos campos de Passo Fundo.

Ainda de acordo com o diretor da Albaugh, os ensaios em curso nas lavouras gaúchas indicam, também, que o tratamento das demais doenças baseado no fungicida à base de cobre da Albaugh apresentou resultados significativos em relação aos demais produtos multissítios.

“A integração do cobre ao manejo do complexo de doenças na soja o transfere resultados favoráveis ao produtor na relação custo-benefício”, diz Sene. “Reconil mitiga o processo de resistência de fungicidas específicos e melhora resultados de produção da oleaginosa, por causa do patenteado efeito ciano, que promove uma interação superior com a plastocianina, uma proteína fundamental para o processo de fotossíntese da planta”, conclui ele.

O presidente da Albaugh Brasil, Cesar Rojas, celebra o sucesso da comercialização de Reconil no País e a crescente aceitação do produto pelo sojicultor. Segundo Rojas, menos de dois anos depois de chegar ao mercado, o produto já tratou mais de 1 milhão de hectares de lavouras.

“Seguiremos investindo no desenvolvimento de Reconil com apoio de pesquisadores e cientistas. Comprovadamente, temos no portfólio um fungicida de alta eficiência e formulação diferenciada para facilitar as aplicações no campo. Reconil respalda a vocação da Albaugh para produzir e comercializar produtos pós-patentes com qualidade superior”, finaliza Rojas.

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura