NOTÍCIAS

Reavaliação da Embrapa alerta previsão de geada em junho de 2020

Segundo Zarc, janela de semeadura do milho segunda safra, na região sul do MS, se estende até 10 de março. A partir desta data, risco de condições climáticas desfavoráveis ao desenvolvimento do milho é muito alto. – Foto: Divulgação Embrapa

A Embrapa Agropecuária Oeste alertou ainda em janeiro deste ano sobre o alto risco de ocorrer geada no mês de junho em municípios da região sul de Mato Grosso do Sul.

O sistema de previsão que foi desenvolvido pela Embrapa funciona em duas etapas: a previsão antecipada, a qual é concluída no mês de dezembro, e a reavaliação que é feita através do monitoramento, até o mês de maio, de critérios chave para o sistema de previsão.

Considerando o monitoramento que foi realizado, as condições requeridas para a ocorrência de geada no mês de junho de 2020 não se alteraram significativamente, não justificando, portanto, mudanças na previsão.

Como fica a previsão atualizada?

A partir do monitoramento realizado pela Embrapa no período de dezembro de 2019 a maio de 2020, o Centro de Pesquisa volta a alertar que a alta probabilidade de ocorrer geada no mês de junho de 2020 nos municípios da região sul de Mato Grosso do Sul continua. Conforme a previsão indica, a probabilidade de ocorrer ao menos uma geada é de 96% e, além disso, a probabilidade de que esta seja forte também é alta, 74%.

Analisando o caso desta safrinha

Na safra 2019/2020, a semeadura da soja foi em geral atrasada por conta da demora no retorno das chuvas. Com isso algumas áreas tiveram a semeadura do milho safrinha também realizada tardiamente. Houve áreas que foram semeadas até mesmo no mês de abril.

De acordo com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), a janela de semeadura para o milho segunda safra, na região sul de Mato Grosso do Sul, se estende até 10 de março. A partir desta data, o risco de ocorrer condições climáticas desfavoráveis ao crescimento e desenvolvimento do milho é muito alto. Por isso, semear após esta data não é uma prática recomendada.

Contudo, considerando a alta no preço pago pelo grão, as condições deste outono-inverno apresentam um cenário complexo de grandes expectativas para o milho safrinha, porém associado de uma maneira muito forte a um alto risco. Tal cenário implicou na revisão do seu planejamento por parte do setor produtivo. Outras culturas emergiram como alternativas, por exemplo, o trigo. Contrariando a tendência de anos anteriores, estima-se que haverá uma redução de 9% da área cultivada com milho segunda safra em 2020, em Mato Grosso do Sul.

E quanto ao frio, o mesmo já deu as caras, precocemente por sinal. Segundo dados do Guia Clima, sistema de monitoramento climático mantido pela Embrapa Agropecuária Oeste com o apoio de parceiros, numa onda de frio que atingiu o Estado no começo de maio, já tivemos temperatura de 5,8 ºC em Dourados, 6,6 ºC em Ivinhema e 2,9 ºC em Rio Brilhante. Houve relatos isolados de ocorrência de geadas na região, mas de baixo impacto para a agropecuária.

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura