NOTÍCIAS

Técnicos de Moçambique aprendem como produzir alho livre de vírus

Ser autossuficiente na produção de alho livre de vírus. Com esse propósito técnicos da área de cultura de tecidos do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM) foram treinados na metodologia de produção de alho-semente de alta qualidade fitossanitária através da cultura de ápices caulinares in vitro. A expectativa, a partir de agora, é que sejam recuperados o vigor das variedades de alho do país africano, aumentando a produtividade nacional e minimizando as importações do alho-semente livre de vírus.

Durante a segunda quinzena de agosto, os técnicos Jamisse Gonçalves e Suzana Fernandes aprenderam técnicas de limpeza viral, indexação e os processos de aclimatação e manutenção de plantas livres de vírus em casas de vegetação e telado. A capacitação ocorreu no âmbito de cooperação técnica com a Swisscontact, que desenvolve o projeto denominado Horti Sempre-Project, que visa intensificar a produção e produtividade de hortícolas como cebola e alho.

Por meio dessa cooperação, Moçambique importou, em 2017 e 2018, alho-semente livre de vírus do Brasil, sendo meia tonelada da cultivar BRS Hozan, desenvolvida pela Embrapa Hortaliças. De acordo com o pesquisador da Embrapa Hortaliças Francisco Vilela, essa capacitação deve fortalecer regiões produtoras de alho de norte a sul do país e minimizar as importações. 

Gonçalves ressaltou a importância do treinamento. “Temos o cultivo de alho, mas não desenvolvemos a limpeza clonal. Obtivemos o componente técnico que faltava para instalarmos laboratório específico para essa atividade”, comenta. Suzana Fernandes acrescenta que algumas técnicas aprendidas podem ser usadas também para procedimentos diferentes em outras culturas.

O alho é uma espécie de propagação vegetativa, sendo essa a causa da disseminação de viroses. O uso de materiais de propagação sadios, como o alho-semente livres de vírus, é fundamental para assegura a qualidade dos novos plantios. Vilela explica que o controle químico não consegue reduzir a disseminação dos vírus porque ele atinge apenas os insetos vetores, que já podem ter transmitido os vírus pelas plantações. 

Cooperação: A importação de alho-semente e a capacitação são decorrentes de projeto de Cooperação técnica Trilateral Estados Unidos-Moçambique-Brasil, realizado no período de 2012- 2015. A Embrapa Hortaliças foi a responsável pelo componente de produção “Variedades e Tratos Culturais em Hortaliças”, que testou mais de 100 cultivares brasileiras de várias espécies de hortaliças no país africano, entre elas alho. Os trabalhos realizados em Moçambique, no âmbito do projeto, foram copilados no livro Horticultura em Moçambique – Características, Tecnologias de Produção e de Pós-Colheita. 

ver mais notícias