NOTÍCIAS

UR fará treinamentos sobre segurança na aplicação de agroquímicos

O site da Unidade de Referência em Tecnologia e Segurança na Aplicação de Agroquímicos (UR) recebe inscrições para dois programas de treinamento. A entidade anuncia que entre os dias 18 e 22 de maio e 15 e 19 de junho formará uma turma de consultores em Tecnologia de Aplicação. Já no segundo semestre, de 21 a 25 de setembro e de 19 a 23 de outubro, a UR capacitará profissionais da agricultura com ênfase na implementação da Norma Regulamentadora 31.8 (NR 31.8), do Ministério do Trabalho e Emprego.

Voltados a agrônomos e técnicos atuantes nas empresas do agronegócio, ambos os treinamentos serão realizados na sede do Centro de Engenharia e Automação do Instituto Agronômico (CEA-IAC). O órgão, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, está situado na cidade de Jundiaí, a 50 km da capital.

A Unidade de Referência resulta de uma parceria entre o CEA-IAC e o setor privado. A entidade tem por principal objetivo capacitar profissionais para atuar, em nível de campo, na qualificação de trabalhadores rurais aplicadores de defensivos agrícolas ou agroquímicos.

“Preparamos técnicos e agrônomos de empresas para levar diretamente ao trabalhador rural práticas que transferem sustentabilidade econômica e segurança às aplicações de agroquímicos”, resume Hamilton Ramos, pesquisador científico do CEA-IAC e coordenador da Unidade de Referência.

Déficit de mão de obra

De acordo com Ramos, o programa do módulo Tecnologia de Aplicação trata do manejo de equipamentos pulverizadores e de novas técnicas que estão sendo empregadas, no mundo, para transferir eficácia agronômica e sustentabilidade ambiental ao tratamento de lavouras. O conteúdo abrange também aplicações de agroquímicos por via aérea e terrestre, informa o pesquisador.

Ainda conforme Ramos, o segundo programa, sobre a N.R. 31.8, tem foco na prevenção de acidentes com agroquímicos. “Fazem parte do treinamento metodologias para controle seguro de pragas, doenças e plantas daninhas, além de ações de proteção ao meio ambiente e cuidados com a saúde do trabalhador rural.”

O pesquisador ressalta que números consolidados pela Unidade de Referência indicam que nos dias de hoje entre 25 milhões e 30 milhões de pessoas trabalham no agronegócio. Desse contingente, aponta Ramos, cerca de 4,5 milhões de trabalhadores são analfabetos e ao menos 12 milhões trabalham como empregados temporários.

“Constatamos que pelo menos 80% dos trabalhadores aplicadores de agroquímicos não possuem qualificação, daí a importância de se incentivar a multiplicação de treinamentos ao campo brasileiro.” O pesquisador calcula que o mau uso de agroquímicos ocasiona prejuízos anuais da ordem de R$ 2 bilhões ao agronegócio, somados desperdícios de ingredientes ativos e despesas resultantes de acidentes e intoxicações.

Interessados devem se inscrever no site www.unidadedereferencia.com.br. Serão aceitas no máximo 15 inscrições por módulo.

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura