NOTÍCIAS

VIII Congresso Andav fecha primeiro dia com destaque para cenário político e econômico

O primeiro dia do VIII Congresso ANDAV foi marcado por mensagens de otimismo e expectativa positiva com relação às dificuldades e aos desafios enfrentados pelo país atualmente. Foi realizado 1° Encontro das Mulheres da Distribuição, com programação especial focada na atuação das mulheres na distribuição de insumos agropecuários, um setor predominantemente masculino, mas que vem apresentando forte presença feminina nos últimos anos. “Competência não tem gênero”, foi a conclusão da palestra ministrada por Isabela Colagrossi, gerente de imagem corporativa da Kleffmann Group, que revelou que 70% das mulheres atuarem dentro das propriedades, sendo a maioria em cargos administrativos.

Mulheres de destaque do agronegócio apresentaram seus casos e deram depoimentos sobre liderança feminina, conexão entre mulheres da área, além de histórias de sucessão nas empresas. O jornalista Claudio Henrique dos Santos, escritor do livro O Macho do Século XXI – que vai se transformar em filme – de forma engraçada, contou a experiência de abandonar sua própria carreira a fim de acompanhar a esposa numa transferência de trabalho para o exterior e, assim, transformar-se num “dono de casa”.

Em clima de descontração e com o auditório completamente tomado, foi realizada a cerimônia oficial de abertura do Fórum do congresso. Antônio Lima Botelho, presidente do Conselho Diretor da ANDAV, George Hiraiwa, secretário estadual de agricultura do Paraná, Francisco Jardim, secretário de agricultura de São Paulo, iniciaram a abertura. “Queremos fazer um manifesto da necessidade de apoio para o nosso setor em áreas como logística, combate aos produtos ilegais, maior fiscalização aos produtos e segurança pública”, resumiu Lima.

Na palestra magna, Wilson Vaz de Araújo, secretário de política agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), apontou perspectivas de crescimento e um cenário da agricultura que chamou de “confortável” para o Brasil. Assinalou pontos positivos da evolução do crédito rural na agricultura empresarial e apontou a cifra de R$ 191,1 bi de recursos programados para este fim. “Gradativamente o governo vem diminuindo a subvenção da agricultura e a iniciativa privada vem abrigando isso; mas é gradativo e tem de ser devagar”, destacou. Reafirmou os objetivos da política agrícola atual, incluindo o crescimento sustentável, o aumento da competitividade e a eficiência na alocação de recursos. “E temos nossa estratégia definida para isso, que inclui entre as várias ações, a diversificação de fontes de financiamento, o fortalecimento do seguro rural e um plano agrícola plurianual”, garantiu.

“O Brasil vai crescer e o setor agro vai crescer ainda mais que o Brasil”

O economista e apresentador do programa Manhattan Connection, da Globonews, Ricardo Amorim, trouxe uma visão otimista para o cenário desafiador e difícil apresentado pelo mercado atualmente. “Este é o momento de maior oportunidade da história; e a agricultura vai crescer enormemente nos próximos anos. Quem se adequar às necessidades do mercado vai se destacar”, resumiu. Amorim dissertou sobre a crise econômica e política do Brasil, os resultados causados pela inflação e o maior problema de todos, segundo ele, que são as dívidas públicas brasileiras. Reforçou que embora não seja a sensação geral dos brasileiros, a economia vem, sim, crescendo e se recuperando, mesmo tendo este processo sofrido perdas com a recente greve dos caminhoneiros, com a alta taxa de juros nos EUA e com o cenário político incerto. “Mas estamos numa rota de recuperação. Posso afirmar baseado em dados da história recente no nosso país. E o setor agro ‘puxa’ este crescimento. Desta forma, o Brasil vai crescer e o setor agro vai crescer ainda mais que o Brasil”, garantiu.

Geraldo Rufino, catador de lixo que se tornou empresário, encerrou o primeiro dia com uma palestra motivacional sobre como o pensamento positivo é fundamental para aumentar a produtividade e transformar negócios. “É preciso olhar a parte que funciona e não a parte ruim. As coisas dão mais certo do que errado. O nosso foco tem que ser no que está bom. Eu vivo isso desde quando olhava para o lixo e só via oportunidade”, disse.

Na área de exposição, o dia foi de networking com a presença de mais de 70 empresas que participam do evento com mais de 50 lançamentos previstos, dentre inovações tecnológicas, propostas de melhorias de gestão, programas de relacionamento, soluções em logística e transporte customizadas, plataformas online, aplicativos personalizados para o setor, linhas de crédito exclusivas, entre outros.

A programação completa aqui.

ver mais notícias